acao4

Clima de sabotagem e relações superficiais não sustentam organizações prósperas. Essa fórmula leva a resultados cada vez piores, mesmo em empresas que oferecem soluções excelentes para o mercado. Para alcançar o sucesso, é preciso fortalecer a cultura organizacional. Quem faz a diferença nessa hora é o líder.

Daniel Goleman, autor do livro Inteligência Emocional, explica que líderes fazem uma organização prosperar quando conseguem transmitir entusiasmo e formar conexões reais com os colaboradores. Uma liderança empática dosa firmeza, afetividade e conhece bem a sua equipe, suas necessidades e as competências mais desenvolvidas de cada um.

No dia a dia do líder, isso se traduz em algumas práticas:

· Abertura para ouvir sugestões;
· Bom feeling para solucionar problemas e conflitos;
· Habilidade para dar respostas e feedbacks;
· Criar espaço para que os colaboradores criem soluções, mesmo quando os processos parecem engessados.

Ser um líder empático não é uma habilidade nata. Essas competências podem ser aprimoradas com treinamentos especializados, além da experiência vinda de situações desafiadoras. Se você quer saber mais sobre o assunto, neste texto, falamos um pouco mais sobre como identificar as competências que precisam ser desenvolvidas em cada nível de hierarquia.

Fontes: HSM, RH

Escrito por Ação Gerencial