25 novembro de 2015 Artigos Nenhum comentário

UM62EOZSRCorte

No momento de elaborar o currículo, alguns modelos trazem o campo “Perfil Profissional”. O que isso quer dizer? Que informações devem ser colocadas? De que forma esse quesito é avaliado na hora do recrutamento? São muitas as dúvidas e, claro, um deslize pode acabar com o sonho de uma vaga tão almejada.

O perfil profissional deve ser preenchido de forma sucinta e objetiva. Basicamente, seu objetivo é mostrar porquê o empregador deve optar por você. É a hora de “vender seu peixe”. É importante ressaltar os pontos fortes e as competências que são valorizadas pela empresa que você deseja fazer parte. Você pode relatar, por exemplo, as metas atingidas e bons resultados que trouxe nos seus trabalhos anteriores – isso mostra como você traz valor à empresa.  

Não é errado escrever um parágrafo, mas o formato de lista facilita a leitura. Suas competências serão mais evidenciadas se colocadas em tópicos. Pense por quais habilidades você é reconhecido. Essas são as características que devem entrar no seu perfil profissional. Evite clichês como “sou uma pessoa comunicativa”. Além de serem batidas, essas frases não dizem nada sobre o desempenho profissional. Em outras palavras, não motivam o empregador a contratá-lo.

Veja alguns exemplos para se inspirar:

– Criadora de identidades visuais para empresas líderes de mercado, como X e Y.

– Experiência em gerência de projetos à distância, com equipes de nacionalidades variadas.

– Alto conhecimento do software X, com aplicações que excederam as expectativas no desenvolvimento de projetos.

– Reconhecida liderança e gerenciamento de equipes durante uma fusão empresarial.

Fonte.

 

Escrito por Ação Gerencial