5 fevereiro de 2016 Notícias Nenhum comentário

Captura de tela 2016-02-04 às 18.27.05

Seja qual for o tamanho ou o segmento, empresas passam por mudanças e desafios similares. Conhecer a fundo as características da equipe é fundamental para tomar decisões acertadas. No entanto, nem mesmo um líder presente e acessível conhece todas as forças e fraquezas de cada funcionário. Nesse ponto entra o Assessment, uma avaliação técnica e comportamental com métodos personalizados para traçar o perfil da equipe. Com ele, é possível descobrir os profissionais mais indicados para cada função, quem corresponde aos valores da empresa, definir a divisão dos cargos, entre outras questões que dependem de análise aprofundada dos recursos humanos disponíveis.

Na Ação Gerencial, nós começamos pela parte conceitual, quando moldamos os conceitos e objetivos do Assessment. Ou seja, o que o cliente deseja e como ele define determinadas características (comprometimento, por exemplo, pode significar ser assíduo para um, enquanto para outro significa estar em dia com as tarefas). Depois deste mapeamento de competências, partimos para a parte técnica, na qual validamos os comportamentos esperados de cada uma delas.

Após o processo de entrevistas a aplicação de teste de cada profissional, é feito um relatório individual conclusivo com os resultados obtidos.
Então, chega-se à parte devolutiva, quando devolvemos os resultados ao profissional. O gestor identifica o “perfil do time” e identifica o potencial de cada profissional.

Ao utilizar a metodologia, além de garantir decisões mais assertivas, a empresa consegue alinhar os profissionais aos seus processos e planos de forma mais eficiente. O Assessment também resulta em mais produtividade, ao mesmo tempo em que contribui para a retenção de talentos. Afinal, bons profissionais ficam onde se sentem motivados e com chances de crescimento.

Escrito por Ação Gerencial