31 outubro de 2016 Artigos,Notícias Nenhum comentário

ac

 

 

Foi-se o tempo em que ser líder era a mesma coisa que ser chefe. Dar ordens com ar de superioridade e impôr respeito pelo medo são características que já não condizem com o mercado de trabalho atual. Hoje, para gerir uma equipe e coordenar tarefas, é preciso ter jogo de cintura, empatia e competência. Algumas pessoas já nascem com um talento nato para liderar, mas todas podem desenvolver suas atitudes e postura para alcançar uma liderança. Se você não quer ser apenas um bom chefe, confira as 5 competências fundamentais para se tornar um bom líder:

Empatia

Esta característica é tão importante que já foi assunto de um dos nossos posts. A capacidade de se colocar no lugar do outro é a melhor maneira de conhecer as pessoas que você lidera e entender como elas se sentem. E isso não deve ser difícil para um líder, pois muito provavelmente um dia ele já foi subordinado a alguém. Lembra daquele ex-chefe super difícil de lidar, que te fazia pensar “quando eu for líder, nunca vou fazer isso”? Use essa lembrança a seu favor e trate sua equipe como você gostaria de ser tratado pelos seus superiores.

Bom exemplo

Como você se sentiria se tivesse um chefe que vive cobrando pontualidade, mas sempre chega atrasado e deixa todo mundo esperando nos dias de reunião? Ser cobrado a ter uma determinada atitude por alguém que não pratica o que fala gera um sentimento de descrença. O resultado é um líder sem credibilidade, que não transmite confiança para a equipe porque não dá o exemplo, assumindo atitudes na contramão de seu discurso.

Disposição para aprender

Essa dica é válida para a vida, afinal não dá para ficar parado no tempo só assistindo o mundo girar. É preciso acompanhar o que acontece à sua volta e conhecer as mudanças que impactam o mercado onde você atua. O líder acaba se tornando uma referência para sua equipe e para outros colaboradores, então ele precisa demonstrar conhecimento e alimentar o grupo com novidades e informações importantes. Para isso é preciso disposição para reciclar os próprios conhecimentos e para aprender com tudo e com todos.

Humildade

Ninguém gosta de conviver com gente arrogante. A arrogância leva as pessoas a cometerem erros, pois as fazem acreditar que sabem mais que os outros. No ambiente de trabalho a arrogância gera medo, e uma equipe com medo não dá novas ideias, não toma a iniciativa e não assume riscos, só faz o que o chefe manda. E você não quer ser chefe, você quer ser líder. Por isso aprenda a escutar os outros e reconheça a importância de cada colaborador.

Consciência

O autoconhecimento gera a consciência de que você não sabe tudo. Para um bom líder isso é fundamental. Todos esperam que essa figura seja um exemplo de perfeição, mas ele também erra, porque, afinal, é um ser humano como qualquer outro. Tendo consciência disso fica mais fácil reagir aos erros com tranquilidade e se preparar para agir quando acontecerem. Saber lidar com as falhas gera mais confiança para assumir riscos, pois você fica consciente de que pode ou não dar certo – e se não der você não precisa se desesperar!

Escrito por Ação Gerencial